Em Nome do Senhor 2016
Em Nome do Senhor 2016

Profissão de Alciane

 

 

Ver Mais

 

 

 


10 DE MAIO FESTA DE SANTA BENEDITA

  

 

"Fazer tudo por amor a Deus,fazer tudo para lhe agradar"

 

 

 


 

 

15 anos cuidando com amor e comprometimento


O Projeto tem a honra de celebrar seus 15 anos de história. Celebrar esses 15 anos é uma vitória, não pela quantidade de anos, mas por aquilo que foi feito nesses anos de dedicação e compromisso com a comunidade.
O Projeto busca desenvolver atividades de convivência salutar para crianças e adolescentes entre 06 e 14 anos, estabelecer e fortalecer vínculos, socializar através da brincadeira, focar na garantia de segurança e acolhida, investir no convívio familiar e comunitário. Este dia representa mais um ano de muito trabalho, dedicação de todos e muitas realizações.
Presença registrada
Servidoras do CRAS-GAMA: Shirley Gomes e Elizabeth Trindade
Administradora do Gama : Maria Antônia
MPDFT : Adilson Sousa
Escola Classe 17
É um esforço conjunto que leva todos a celebramos com alegria este dia, trabalhamos também inspirados no carisma de Santa Benedita de “Trabalhar com verdadeiro espírito”, acolhemos sem discriminação social, racial ou religiosa, trabalhamos com garra, suor e dedicação prevenindo e amando cada criança ou adolescente inserido no Projeto Ser Mais.
Equipe Ser Mais e
Nossas Crianças

Ver Fotos

 

 

 


 

Santa Benedita

 

RETALHOS DA HISTÓRIA DE UMA EDUCADORA:

 

 

Santa Benedita Cambiagio Frassinello foi mulher

no sentido pleno da palavra. Foi esposa. Esposa feliz.

Num certo momento, de pleno acordo com o marido,

decide fazer voto de viver o matrimonio em castidade total, para dar impulso mais livre á obra de caridade que lhe

abrasa o coração. Oferece totalmente a si mesma. O marido

 faz a mesma coisa, participando silenciosa,extraordinária e fielmente na sua obra.

 

Desse mistério de amor doado, nasce uma serie de eventos por meio dos quais Benedita tem ocasião de patentear uma vasta gama de características de sua feminilidade: concretude e desapego, ternura e sensibilidade, coragem e maternidade espiritual.

 

Benedita disse sim ao chamado de Deus, na seara a ela destinada: socorrer, curar e educar moças pobres, abandonadas, expostas. Executar essa missão sem pensar em estruturas, com a rapidez exigida pela gravidade das circunstâncias. Faz tudo isso com paciência, humildade e tenacidade, enfrentando dificuldades e incompreensões. Doa-se totalmente, pois “perder a si mesmo para Deus é ganhar”.

Santa Benedita olhava tudo com os olhos da Fé, enchegava na natureza uma carta escrita por Deus para nós.  A confiança em Deus era tanto para as coisas da alma quanto para as coisas do corpo.

Constatava a Providencia de Deus em todos os momentos do dia, nas doaçoes e nos acotemcimentos. Santa Benedita era providência para todos os que encontrava no seu caminho constatando que “tem mais alegria no dar que no receber”.

 

Hoje, Benedita é uma mulher que nos olha nos olhos, specialmente aos leigos convocando-os a uma resposta. A santidade de Benedita não é etérea, nem extraordinária; é santidade “pé no chão”, cheia do cotidiano, das realidades possíveis, que todos podem executar. Benedita tem uma humanidade e uma espiritualidade extremamente atuais. Mulher que não viveu só para o seu tempo. Viveu também para o nosso tempo, para este tempo do começo do terceiro milênio.

 

Este ano, 2016, que estamos vivendo o “ano da misericórdia”, um tempo favorável para contemplar a misericórdia divina que ultrapassa qualquer limite humano. Seja na sociedade, no trabalho e até mesmo na família, a humanidade precisa urgentemente de misericórdia, disse Papa Francisco. Alguns podem até dizer que há problemas mais urgentes para serem resolvidos e Francisco reconhece isso, mas  nos lembra que na raiz da falta de misericórdia está o “amor próprio”. “No mundo, isso toma a forma da busca exclusiva dos próprios interesses, dos prazeres e honras unidos à vontade de acumular riquezas, todas essas coisas são contrárias à misericórdia”.

 

Santa Benedita vivia o perdão a  entrega, a compaixão e  a alegria, acolhendo as crianças e jovens, orientando elas para ser felizes e  úteis a sociedade.

 

Estamos vivendo uma sociedade violenta, individualista, arbitrária. Formam-se grupos oportunistas, que não têm outra finalidade senão a de se promover e a de tirar proveito do outro. O outro só existe como elemento de conveniência. Uma sociedade onde os fins justificam meios ilícitos, desumanos, onde Deus é uma “presença vaga”, indefinida, distante. Uma sociedade sem luz, sem fé.

 

 “Devemos abrir o nosso coração à alegria do perdão, conscientes da esperança segura, que faz da nossa existência humana um instrumento humilde do amor de Deus”.

  

   Benedita deixou-se conduzir pelo espírito Santo,ela não deixa o mundo, mas mudou o seu modo de ver e de estar no mundo, a sua escola foi a escola do serviço, do acolhimento e do amor.

 

 

 

 

 

topo